segunda-feira, 30 de junho de 2014

Olá, seja bem vindo!
Essa palestra foi ministrada por mim no 12o Encontro para Pastores e Líderes de Jovens e Adolescentes em Camaragibe - PE em um evento organizado pela MPC Brasil.
O tema abordado foi o enfrentamento do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes.
Espero que você goste.
Grande abraço,
Leolina Cunha


 

terça-feira, 24 de junho de 2014

Todo relacionamento saudável deve ser alicerçado na verdade.

Às vezes os pais relutam em reconhecer suas fraquezas e imperfeições diante dos filhos por temerem perder a autoridade para com os mesmos.

Essa forma de agir é equivocada e provoca mais danos do que benefícios no relacionamento entre pais e filhos.

Quando os adultos têm coragem para assumir seus próprios erros estão indiretamente ensinando as crianças a adotarem a mesma postura diante da vida.

Os limites são importantes na vida da criança e do adolescente.

Às vezes os pais não mantêm um padrão justo na forma de disciplinamento dos filhos, gerando mais confusão e angústia do que segurança e estabilidade.


Estamos na era da diversidade. Nunca se falou tanto sobre a convivência harmônica das diferenças. O ser humano é, por natureza, complexo e não se desenvolve de forma igual e uniforme.

Somos equipados com uma variedade imensa de dons naturais. Uns têm mais aptidão para música, já outros para trabalhar com números e outros com esporte. O leque é bem extenso. Tal constatação nos leva a pensar como é extremamente injusto comparar o desempenho de um filho com outro. Logo, se um se destaca nas artes plásticas, o outro pode vir a se destacar na culinária, não tendo como aquilatar qual deles é o mais dotado de talentos. 


Os pais não podem mudar a cor dos olhos de seu filho,
mas podem dar aos olhos a luz da compreensão, calor da simpatia.
Eles não conseguem mudar muito o aspecto da criança,
mas podem de muitos modos dotar a criança
com o brilho da humanidade, bondade e amizade,
que em longo prazo talvez lhe proporcione muito mais alegria do
que a perfeição que vence nos concursos de beleza.
Os pais não dão segurança cercando o filho de coisas materiais,
mas envolvendo-o nos braços do amor
Charles Kingsley




Todo ser humano gosta de ser útil e necessário no ambiente em que vive. A criança deve ser estimulada a ajudar no desempenho de alguma tarefa doméstica, pois isso fará com que se sinta valorizada e responsável.

Os pais, entretanto, devem buscar agir com paciência quando delegarem tarefas para seus filhos executarem. É importante deixar a criança completar em paz aquilo que foi incumbida de fazer. Ou seja, quando lavar um prato, ou colocar os copos na mesa, não deve ser repreendida ou humilhada caso demore em executar a tarefa que lhe foi confiada.




Vivemos num mundo tão agitado que muitas vezes nos falta tempo e disposição para ouvir de verdade o que nossos filhos têm a nos dizer.

Entretanto uma das melhores formas de demonstrar que eles são amados e aceitos por nós é dando às mesmas uma chance de se comunicarem de forma plena conosco.




Alguns pais enfrentam imensa dificuldade em demonstrar amor pelos filhos usando palavras ou gestos carinhosos. É mais fácil expressar o que sentem através da casa arrumada, a roupa lavada, o pagamento da mensalidade do colégio em dia, a compra do vestido novo. Entretanto, apesar da importância de todos esses cuidados, eles sozinhos não bastam para demonstrar a uma criança o quanto ela é amada e aceita como parte da família. A criança precisa escutar o amor que seus pais sentem por ela de forma verbalizada e vivenciar o toque carinhoso daqueles a quem quer bem. É muito importante o abraço terno e quente da mãe, o ouvir o doce “eu te amo” do pai ou expressões do tipo: “filho você é valioso(a) para mim”; “ Filha(o), você está muito bonita nesse vestido”; ou “ Você é muito importante para mim”.



A crítica quando feita de forma construtiva tem seu espaço e faz parte do processo de amadurecimento de todos nós. Entretanto, principalmente quando se tratar de uma criança ou adolescente, ela deve ser feita com amor, cuidado e moderação.

Os pais muitas vezes, na ânsia de corrigir seus filhos, acabam por sobrecarregá-los com cobranças intermináveis. 


Poder tomar decisões faz parte do desenvolvimento do ser humano. Quanto mais chances nossos filhos têm de exercer seu poder de escolha mais eles se tornarão independentes e maduros.

Embora muitas vezes as crianças e os adolescentes ainda não estejam preparados para governar seus próprios destinos, é fundamental que os pais incentivem suas capacidades de escolha. O hábito de realizar escolhas gera autoconfiança e isso se refletirá positivamente na fase adulta, fazendo com que as decisões sejam tomadas com maior facilidade e segurança.


O sentimento de pertencer é uma das nossas necessidades psicológicas mais profundas. DRESCHER (1997), conta uma história comovente a esse respeito:

“Há alguns anos o jornal New York Times publicou uma história de interesse humano sob o título ‘Ele gostaria de pertencer’. O artigo falava de um menino que viajava de ônibus na cidade. Ele estava ali sentado, perto de uma senhora de cinza. Naturalmente todo mundo pensava que ele estava com ela. Não é de admirar então que ao esfregar 


segunda-feira, 23 de junho de 2014


Fazer amizade é uma atividade necessária para a socialização de nossos filhos.

A família deve ser um espaço de conforto e segurança onde eles se sintam com liberdade para receber seus amigos.

Quando um filho sente que não terá permissão dos pais para convidar seus coleguinhas a virem até sua casa ou percebe 



O cuidado na identificação das lesões é de suma importância. Além de observar o histórico de vida da criança e o comportamento de cada membro de sua família, faz-se necessário examinar se os hematomas, fraturas, cortes, arranhões, que ela trás consigo, são originários de práticas de maus-tratos ou provenientes de brincadeiras e acidentes provocados naturalmente.



Guia Prático de Identificação de Maus-tratos -  Perfil da Criança e do adolescente:

@ Teme exageradamente os pais.
@ Alimenta uma baixa autoestima.
@ Falta constantemente à escola, devido ao período de convalescença e processo de cicatrização dos maus-tratos sofridos.


Guia prático de Identificação - Perfil do Agressor de Maus-tratos contra Crianças e Adolescentes:

@ Não vê a criança como um sujeito de direitos, mas sim como um objeto de sua propriedade.

@ Demonstra desinteresse pelo bem estar da criança, sendo raro o comparecimento a reuniões escolares, acompanhamento de vacinas, etc.

@ Descreve a criança como preguiçosa, de má índole e causadora de problemas.
Defende a aplicação de disciplina severa.

@ Demonstra irritação e pouca paciência com o comportamento próprio das crianças. (Ex: Correr, falar alto, sujar a roupa, etc).

@ Possui geralmente um histórico de violência doméstica em sua própria infância.
Faz uso indevido de drogas e/ou abusa de álcool.

Caso concreto: A.F.P.S., de 10 anos de idade, foi internada no hospital-escola da PUC Campinas, com queimaduras pelo corpo provocadas por água quente, jogada pela mãe adotiva como forma de castigo. E.P.V. adotou a criança, porém busca devolver a mesma para a entidade há alguns meses, pois afirma que esta é muito rebelde. Segundo informações da vizinhança, E.P.V. é alcoólatra, deixando sua filha menor e A.F.P.S. sozinhas em casa.
(CRAMI, 21/08/1985).

@ Mente quando indagado sobre a causa das lesões da criança, dificilmente reconhecendo sua culpa.

@ Cobra da criança desempenho físico e/ou intelectual acima de sua capacidade.
Atribui à criança a causa de problemas existentes no lar.

@ Pode apresentar traços de imaturidade e instabilidade emocionais decorrentes da pouca idade ou por ser originário de família disfuncional.

@ Temperamento autoritário e controlador.

@ Pode apresentar distúrbios psicológicos ou psiquiátricos.

Fonte:
Maria Leolina Couto Cunha
Especialista na Área do Enfrentamento da Violência contra Crianças e Adolescentes
Professora Universitária. Advogada. Master Coach. Analista Comportamental.



O responsável pela criança, geralmente a mãe, mente sistematicamente acerca do estado de saúde do próprio filho. Inventando doenças, os pais induzem a equipe médica a submeter a criança à exaustivos e dolorosos exames, comprometendo progressivamente sua integridade psicológica e física.



É uma lesão cerebral gravíssima, ocasionada geralmente em crianças de até 02 anos de idade, devido a fortes sacudidas em seu corpo. A brutalidade desses impactos acaba por comprometer a massa encefálica que se desloca bruscamente em decorrência da violência.


Segundo COURTOIS (1988) de 20% a 40% do sexo feminino sofre alguma modalidade de abuso sexual até completarem dezoito anos de idade. Já a população dos meninos é de um para seis. Tais números são expressivos e demonstram que provavelmente uma grande parcela da comunidade,  infelizmente, já experimentou algum tipo de abuso na área sexual.


sexta-feira, 20 de junho de 2014

As humilhações, o descaso, as variadas formas de maus-tratos sofridos por uma criança, são originados na maioria das vezes por pais despreparados, estressados e cheios de sentimentos negativos. O fato gerador de uma baixa autoestima, quer seja em adultos ou crianças, está diretamente relacionado à ausência de amor incondicional por parte dos pais.

O amor incondicional é um pré-requisito para que o ser humano ame a si mesmo. Mas o que é amor incondicional? Qual o sentido exato dessa expressão? Amar incondicionalmente é amar “apesar de”. É amar sem limites, sem condições, é gostar de alguém, não pelo que a pessoa produz ou faz, mas sim pelo que ela é. Amar incondicionalmente é transpor barreiras, é amar apesar dos defeitos e falhas.

Apesar de amarem muito os filhos alguns pais se acostumam a demonstrar esse amor somente quando os mesmos conseguem se sobressair em alguma atividade ou levar a cabo alguma tarefa. A demonstração do amor fica condicionada ao que a criança é capaz de realizar e não ao que ela é em sua individualidade. Essa forma de interagir, apesar de bastante comum, é profundamente nociva para a criança, que desde cedo passa a nutrir o sentimento de que seus pais só a amarão se obtiver bons resultados nas mais variadas áreas de sua vida.

Uma criança que recebe amor apenas de forma condicional, quando comete um fracasso ou um erro sentirá muita dificuldade de amar e apoiar a si mesma. Os sentimentos de inferioridade e a sensação de que não é amada, como um rolo compressor, acabarão
sufocando seu amor próprio e autoestima. 

Um bom exemplo disso pode ser evidenciado numa família onde existe dois filhos. Um é muito esforçado, trabalhador, bom aluno. O outro é bagunceiro, não gosta de estudar e sempre fica de recuperação. Nesse caso concreto é fundamental que os pais tenham
o cuidado de demonstrar para ambos que o amor devotado a eles continua igual, pois são amados pela condição de filhos. Isso, entretanto, não deve impedir os pais de chegarem junto ao filho bagunceiro e incentivá-lo a mudar de conduta, inclusive disciplinando-o se
necessário. Ao experimentar o amor incondicional de seus pais, o filho, com certeza, se sentirá encorajado e confiante para reagir e melhorar seu comportamento. 

Um exemplo clássico de amor incondicional está retratado nas sagradas escrituras, na história do filho pródigo.

“ Um homem tinha dois filhos. O mais novo deles disse ao pai: Pai, dá minha parte na herança. Ele repartiu os bens entre eles. Não muitos dias depois, o filho mais novo ajuntou tudo o que era seu e partiu para uma terra distante, e lá desperdiçou todos os seus bens, vivendo dissolutamente. Depois de ter gastado tudo, houve naquele país uma grande fome; e ele começou a passar necessidade. Então ele foi e se empregou com um dos cidadãos daquela região, e este o mandou para seus campos para apascentar os porcos. Ele desejava fartar-se das bolotas que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada. Então caiu em si e disse: quantos empregados de meu pai têm pão com fartura, e eu aqui estou morrendo de fome! Eu me levantarei e irei até meu pai e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; não sou digno mais de ser chamado teu filho; trata-me como um de teus empregados. Levantou-se e foi até seu pai. Quando ele ainda estava longe, seu pai o viu e cheio de compaixão, correu, o abraçou e o beijou. O filho disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; não sou mais digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse a seus servos: Trazei depressa a melhor roupa e vesti-o, ponde um anel em seu dedo e sandálias nos pés. Trazei também e matai o novilho gordo. Comamos e alegremo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi encontrado. E começaram a alegrar-se”. Lucas 15: 11-24

É fundamental que os pais externem o amor que sentem pelos filhos seja qual for a situação.

 
PARA REFLETIR:

E VOCÊ, COMO ESTÁ TRATANDO SEU FILHO?
COM AMOR INCONDICIONAL? 
      REFLITA SOBRE ISSO. 
      
      Grande abraço,
      Leolina Cunha


Fonte: Maria Leolina Couto Cunha 
Especialista no Enfrentamento da Violência contra Crianças e Adolescentes.
Professora Universitária. Advogada. Diretora Presidente CELC.
Master Coach. Analista comportamental. 




sexta-feira, 13 de junho de 2014

O profissional que trabalha diretamente com o público infantil precisa se preparar para assumir o papel de defensor dos direitos das crianças e dos adolescente vítimas de violência. Essa tarefa precisa ser executada com muita competência e compromisso, sem deixar espaço para medos, omissões e projeções pessoais.
Vamos no texto a seguir apresentar as principais características dos maus-tratos físicos na infância.



terça-feira, 10 de junho de 2014

Foi realizado em 1996, na cidade de Estocolmo, Suécia, o I Congresso Mundial contra a Exploração Sexual Comercial de Crianças. Na ocasião foi definido o conceito de exploração sexual comercial como:
"O uso de uma criança para propósitos sexuais em troca de dinheiro ou favores em espécie entre a criança, o cliente, o intermediário ou agenciador; e outros que se beneficiem do comércio de crianças para esse propósito. O uso de uma criança para propósitos sexuais em troca de dinheiro ou favores em espécie entre a criança, o cliente, o intermediário ou agenciador; e outros que se beneficiem do comércio de crianças para esse propósito."

Desde Estocolmo ficou estabelecido que o fenômeno da exploração sexual comercial de crianças possui quatro modalidades: prostituição, pornografia, exploração sexual no contexto de turismo e tráfico para fins comerciais e sexuais.

Ei!!!

Levante a cabeça! Não interessa o tamanho da dificuldade que está enfrentando, você não está sozinho. Deposita esse problema nas mãos do Senhor e ele vai dar o escape. Acalma seu coração, Deus irá transformar seu choro em riso. O Senhor é um especialista em converter derrotas em vitórias. Escute, nada está perdido. Deus te ama e está providenciando um grande milagre na sua vida.

Tome posse

Creia!!! O tempo da bênção está chegando! O milagre já foi liberado! O que Deus irá fazer na sua vida é bem maior do que tudo que você pensou, sentiu ou pediu! Aqueles que zombaram e falaram mal de você ficarão atônitos. Eles reconhecerão que foi a mão do Deus todo poderoso te fez prosperar. Deus tem algo profundo e muito especial contigo. Ele te ama. Tome posse da sua vitória!!!

Ei!!!

Deus está trabalhando a seu favor e em breve irá solucionar esse problema que para você parece impossível. Logo, aquiete seu coração, pois tudo irá ser resolvido em Cristo Jesus.

Creia!!!

Não importa quão grande seja o seu desafio, Deus tem o controle de tudo em suas poderosas mãos. Os sofrimentos que você atualmente está experimentando, não poderá ser comparado com a bênção que Deus está preparando para derramar sobre sua vida!

Ei!!!

Seja forte e corajoso. Não tenha medo nem desanime por causa do seu inimigo e do seu enorme exército, pois com você está um poder maior do que o que está com ele. (2 Crônicas 32:7)

Deus não te abandonará

Seja forte e corajoso! Mãos ao trabalho! Não tenha medo nem desanime, pois Deus, o Senhor, o meu Deus, está com você. Ele não o deixará nem o abandonará até que se termine tudo que ele iniciou a fazer na sua vida.

1 Crônicas 28:20

Tecnologia do Blogger.

VISUALIZAÇÕES

TESTEMUNHO - Leolina Cunha

MAIS ACESSADAS

ARQUIVOS